O Bom pastor e seus comentários

O Bom pastor e seus comentários

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Atos 20 = Pastoreai o Rebanho de Deus


®    Atos 20: Pastoreai o Rebanho de Deus.

O rebanho é de Deus, mas os presbíteros devem pastoreá-lo em seu nome e para a sua glória somente. A principal forma de fazê-lo é sendo modelos no comportamento (v.18), servindo com humildade (v.19); anunciando e ensinando somente o proveitoso e de várias formas (v.20); centralizando o arrependimento sem acepção de pessoas (v.21); ensinando todo o desígnio de Deus (v.27); conscientes de quem é o rebanho e seu pastor (v.28); atentos à intromissão dos lobos (v.30,31); sempre cientes da autoridade da qual fomos investidos (v.32); nunca agindo por cobiça ou interesse (v.33); servindo com contentamento (v.34) e priorizando aos que necessitam mais de cuidado pastoral (v.35).

Observe que Paulo se dirige aos presbíteros da igreja de Éfeso como comumente os presbitérios se dirige aos pastores no dia de sua ordenação ao sagrado ministério. A razão é muito simples e bíblica. Os presbíteros são tão pastores quanto os apóstolos o eram naquele tempo.

Observe ainda que os conselhos, recomendações e determinações de Paulo aos presbíteros apontam seu ministério na direção do cuidado, supervisão e pastoreio do rebanho.

Uma tentação muito comum e constante para os presbíteros é verem a si mesmos como supervisores do trabalho dos pastores e administradores da igreja. Por causa disso, somado ao abuso de muitíssimos pastores que não se consagram ao serviço para o qual foram designados e ordenados; bons presbíteros acabam por ceder a esse tipo de tentação: 
(1) a tentação de se verem como patrões dos pastores e não seus co-pastores e companheiros no ministério;
(2) a tentação de se verem hierarquicamente superiores aos demais irmãos e dessa forma turvar o significado verdadeiro do sacerdócio de todos os crentes; 
(3) a tentação de decidirem pela igreja sem conhecerem de fato as necessidades dela; 
(4) a tentação de se verem politicamente como representantes de grupos de eleitores dentro do rebanho a fim de representar seus interesses no Conselho da igreja.

Paulo os exorta a resistir a esse tipo de tentação e serem pastores, cuidadores do rebanho. 
(1) Servindo lado a lado com os pastores que são seus pastores e dos quais são pastores também. 
(2) Servindo como iguais e como servos no meio de servos.
(3) Servindo com conhecimento de causa tanto pela visitação quanto pelo aconselhamento fiel de suas ovelhas. 
(4) Servindo como representantes de Deus eleitos por seu povo a fim de supervisionar e superintender a vida cristã sem intromissões desmedidas e sem ingerências desnecessárias na vida alheia.

Paulo deixa claro que os exorta porque ama a Deus; ama ao rebanho e ama os presbíteros que formou e que a igreja elegeu pelo voto de uma assembleia reconhecendo sua santa vocação.

Essa conversa com os presbíteros terminou em oração e lágrimas de despedida. Eles oraram com humildade, pois se ajoelharam diante de Deus. 

Em breve vamos eleger presbíteros outra vez, e aqui Paulo explicita um breve, mas importante, manual para a sua conduta no pastoreio da igreja. Cabe a nós, os presbíteros atuais, nos perguntarmos se temos lido e seguido esse manual. Cabe-nos também a tarefa de instruir os novos irmãos que se juntarão a nós pela eleição, se estão dispostos a lê-lo e segui-lo junto conosco. Cabe à igreja segui-lo na hora da eleição. Mas a todos nós cabe eleger de joelhos para que Deus, O Senhor da igreja, nos governe a todos com amor.

Com amor, Pr. Helio.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...